Skip to main content
A- A+

Como prevenir fraudes em aplicativos financeiros usando a biometria de voz?

Saiba mais sobre as soluções de Minds Digital e como elas podem ajudar a prevenir fraudes em aplicativos financeiros usando a biometria de voz. 

O índice de furto de celulares tem aumentado todos os anos. Apenas na cidade de São Paulo, esse número atingiu 111% em um ano. Uma pesquisa da Mobile Time e Opinion Box apontou também que cerca de 61% dos brasileiros já tiveram o celular roubado pelo menos uma vez. Para Erivaldo Costa Vieira, Coordenador do Departamento de Pesquisas em Economia do Crime da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), o crescimento recente pode estar associado à popularização do sistema de pagamento instantâneo, o Pix. 

Em agosto de 2021, o Banco Central adotou novas medidas de segurança no Pix, motivado pelos registros de fraudes percebidos desde a implementação do novo sistema. De novembro de 2020, quando o pagamento instantâneo foi lançado, até agosto de 2021, foram registradas 38 mil suspeitas de fraude em um total de 3,8 bilhões de transações. 

A fraude é bem-sucedida especialmente em aparelhos sem senha ou sem uso de biometria, mas também pode acontecer quando o usuário usa padrões fáceis de serem descobertos. Depois do desbloqueio, os fraudadores realizam uma busca no aparelho para encontrar informações que possam ajudá-los a descobrir a senha dos aplicativos financeiros. 

Para evitar que essas ações continuem acontecendo, o setor de prevenção à fraude dos bancos compreende ser necessário combinar diferentes mecanismos de verificação da identidade.  Um diferencial da autenticação multifator é a chave de acesso que não pode ser encontrada no próprio aparelho ou por outros meios. Nesse caso, a melhor saída é tornar o usuário a própria senha — o que pode ser feito com a biometria de voz. 

Neste artigo, você vai entender como a solução SDK da Minds Digital pode ser inserida no próprio aplicativo financeiro para evitar quee fraudes aconteçam, preservando a confiabilidade das instituições financeiras. 

Solução SDK de biometria de voz da Minds Digital

O SDK, Software Development Kit, faz referência a um conjunto de códigos que torna possível inserir uma nova funcionalidade em um software, sem precisar desenvolver do zero essa implementação. Para facilitar o processo de coleta da voz do cliente, a Minds desenvolveu uma SDK mobile que se integra facilmente às principais tecnologias utilizadas na criação de apps: Flutter, Swift e Kotlin

Além de facilitar a vida do desenvolvedor, toda a UX foi pensada para remover qualquer tipo de fricção e viés cognitivo, permitindo que pessoas com pouca familiaridade com a tecnologia ou com dificuldade de leitura não tenham problemas em entender o processo.

A SDK de biometria de voz da Minds Digital pode ser usada em diversos momentos para ampliar o processo de verificação dos usuários. Algumas necessidades de autenticação de clientes são: 

  • onboarding digital;
  • abertura de contas;
  • validação de transações financeiras; 
  • solicitação de segunda via de cartão;
  • confirmação de recebimento do cartão de crédito.

Com essa tecnologia, é possível diminuir consideravelmente as chances de uma possível fraude. A verificação por biometria de voz, aqui na Minds, leva apenas 1 segundo para ser concluída e tem acurácia mínima de 97%.  Até hoje, a nossa solução já preveniu mais de R$ 13 milhões em fraudes e alertou as operações das empresas sobre mais de 10 mil desvios de comportamento.  

Como a biometria de voz pode impedir fraudes? 

Nós da Minds entendemos que as fraudes em aplicativos acontecem majoritariamente em dois momentos: no processo de abertura de contas e na realização de transações, como pagamentos e transferências.  A seguir, entenda como a biometria de voz pode evitar fraudes nesses dois casos: 

Prevenir fraudes na abertura de conta em aplicativo

Com tantos vazamentos de dados pessoais, fica difícil saber quais das nossas informações estão disponíveis online ou na deep web. Nome completo, data de nascimento, endereço, CPF, carteira de identidade… Se vazados, esses dados podem ser facilmente encontrados por fraudadores. 

Com essas informações pessoais, por exemplo, é possível cometer fraude de identidade na abertura de contas bancárias em diferentes instituições. Então, poderão solicitar empréstimos e cartões de crédito ou poderão usar as contas para apoiar outras ações criminosas, como golpes usando Pix.   

Veja um exemplo de fraude que pode ser evitada com a biometria de voz: um fraudador, que vamos chamar de João, usou os dados de Antônio, a vítima, para abrir uma conta no Banco X. Como Antônio ainda não é cliente do Banco X, a biometria de voz dele não está cadastrada no banco. Nesse caso, a voz que será registrada é a de João, mas com os dados cadastrais de Antônio. 

A nossa experiência na prevenção de fraudes por voz já mostrou que uma mesma pessoa faz várias tentativas de cadastro em nomes diferentes. É nesse momento que a tecnologia da Minds é capaz de desarticular a fraude: ainda que João, o fraudador, seja capaz de abrir uma conta falsa no nome de Antônio, ele não será capaz de fazer isso outras vezes, pois o nosso sistema vai acusar que aquela voz já está registrada em outro CPF. 

Em tempo real, esse comportamento é mapeado e marcado como suspeita de fraude. Nesse momento, o Banco X pode optar por adicionar outra etapa de verificação da identidade. Então, se o fraudador João tentar se registrar novamente com os dados de uma segunda vítima, a plataforma da Minds vai emitir um aviso de possível fraude. 

A voz de João ficará marcada na blocklist da Minds como envolvida em uma possível fraude, assim como o número de telefone usado por ele. Agora, todas as vezes que João ligar para o Banco X ou tentar usar a sua biometria de voz para validar uma transação, os atendentes e as operações antifraude terão acesso a esse histórico. 

Essa tecnologia é chamada de “busca de vozes 1 para N”, que significa 1 voz para N cadastros. Dessa forma, mesmo que o fraudador crie uma conta, ele não poderá fazer outra, o que evita a recorrência das fraudes. 

Prevenir fraudes em transações em aplicativos financeiros 

As fraudes cometidas via aplicativos financeiros podem acontecer tanto em decorrência de roubo ou furto de celular, como por mecanismos de engenharia social. Nos dois cenários, caso exista também uma validação por biometria de voz, o fraudador não será capaz de completar a transação. 

Vamos a outro exemplo: digamos que o celular de Antônio tenha sido roubado e use como padrão de senha de desbloqueio os números 1234. O roubo foi cometido por João, que facilmente conseguiu desbloquear o celular. Ele procura em grupos, notas e mensagens de Antônio alguma coisa que indique qual é a senha dos aplicativos financeiros. 

Com a biometria por voz da Minds Digital esteja integrada a esses aplicativos, mesmo que João descubra a senha, ele não será capaz de realizar nenhuma ação, pois o sistema analisará que a voz de João não é a voz do cliente. Enquanto isso, Antônio terá tempo para bloquear o aparelho e as contas e evitar que qualquer fraude seja cometida. 

 

Como funciona a autenticação por voz? 

É possível que você esteja se perguntando como funciona, de fato, a autenticação por voz. Vou te explicar como o processo acontece aqui na Minds: 

A autenticação pode ser inserida em qualquer momento do processo de identificação do usuário — pode ser por telefone, quando ele entra em contato com atendimento ao cliente por call center ou WhatsApp, ou também no acesso de um aplicativo. 

Para fazer essa validação, é preciso que o cliente já tenha cadastrado a sua voz anteriormente, de modo que seja possível compará-la com a voz de entrada. A captura desse dado biométrico pode ser feita durante o cadastro do cliente ou em algum momento futuro, quando a solução SDK for implementada. 

Essa captura é transformada em uma imagem chamada espectrograma, que no banco de dados será associada ao CPF ou a outra informação pessoal do cliente. No futuro, quando ele precisar realizar a autenticação por voz, em apenas 1 segundo, a nossa tecnologia de inteligência artificial fará a comparação do espectrograma de entrada com o espectrograma cadastrado no cliente, com uma acurácia de +97%. 

Quer saber mais sobre o processo de autenticação por voz? Ouça o episódio do nosso podcast Open Your Minds em que o Marcelo Peixoto, CEO da Minds Digital, explica como tudo funciona: 

 

O que a LGPD diz sobre dados biométricos? 

A Lei Geral de Proteção de Dados, LGPD, determina em seu artigo 11º que o tratamento de dados sensíveis poderá ocorrer de duas formas: com ou sem o consentimento do titular dos dados. 

Nas hipóteses em que não há consentimento, há um rol taxativo de situações em que o uso dessas informações podem ser feitas. Uma delas é a prevenção à fraude e a garantia de segurança do titular, especificamente nos processos de identificação e autenticação de cadastro em sistemas eletrônicos. 

Portanto, durante o processo de validação da voz, todas as normas da Lei Geral de Proteção de Dados são respeitadas, protegendo os dados do usuário e agindo dentro da normativa prevista.  

Conheça as soluções da Minds Digital  

A Minds Digital é uma IDTech especialista em autenticação com biometria de voz. Nosso foco é proteger pessoas e empresas de fraudadores ao melhorar o processo de identificação e autenticação de clientes, com uma inteligência artificial própria e inovadora. 

Com mais segurança e velocidade, temos soluções para diferentes modelos de negócio: 

Tenha na sua empresa uma solução que realmente vai trazer resultados! Converse com um de nossos consultores e entenda como a Minds Digital pode te ajudar a inovar na tarefa de prevenir fraudes.

converse com um consultor - prevenir fraudes em aplicativos financeiros

Close Menu